Departamento de Segurança da SBP alerta sobre riscos do bebê conforto de balanço e dos andadores

  O Departamento Científico de Segurança da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) enfatiza a necessidade de prudência na utilização do bebê conforto ou assento de balanço ou outros dispositivos que promovam aceleração e amplificação de movimentos. A recomendação acontece após a Comissão de Segurança de Produtos para o Consumidor dos Estados Unidos confirmar a morte […]

 

O Departamento Científico de Segurança da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) enfatiza a necessidade de prudência na utilização do bebê conforto ou assento de balanço ou outros dispositivos que promovam aceleração e amplificação de movimentos. A recomendação acontece após a Comissão de Segurança de Produtos para o Consumidor dos Estados Unidos confirmar a morte de 32 crianças entre os anos de 2011 e 2018, em decorrência do uso do produto “Rock’n Play Sleeper”, da Fisher-Price.

Em comunicado oficial publicado pela empresa, a marca pede que todos os consumidores deste produto da marca norte-americana entrem em contato para obter reembolso. O recall também ocorreu em função de um apelo da Academia Americana de Pediatria (AAP).

De acordo com o presidente do Departamento Científico de Segurança da SBP, dr. Mário Hirschheimer, o principal risco está relacionado a falta do uso de segurança em todos os casos e à possibilidade da criança ficar de cabeça para baixo, o que pode levar ao bloqueio das vias aéreas e ao sufocamento.

ANDADORES – Em função do anúncio de recall, a SBP reitera também sua posição contrária ao uso de andadores e puladores (jumpers). Conforme aponta o dr. Danilo Blank, secretário do DC, diferentes revistas médicas internacionais têm chamado a atenção para o grande risco desses equipamentos. Anualmente, o andador é a causa de boa parte dos atendimentos nos serviços de emergência em crianças com menos de um ano de idade.

“Algumas sofrem queimaduras, intoxicações e afogamentos por causa desses produtos, mas a grande maioria sofre quedas. Nos casos mais graves, cerca de 80% são de quedas de escadas. Nos Estados Unidos, num período de 25 anos foram registradas 34 mortes causadas por andadores, um número nada desprezível”, enfatiza.

LEGISLAÇÃO – Desde 2013, a comercialização dos andadores está proibida em todo o Brasil devido a uma decisão liminar da Justiça no Rio Grande do Sul. Apesar disso, o utensílio ainda é encontrado na internet e em lojas físicas de todo o País. Para barrar a prática de maneira definitiva, a SBP e outras entidades que atuam em prol da saúde e bem-estar das crianças aguardam a aprovação no Congresso Nacional do Projeto de Lei 4926/13, que visa a proibição da utilização, venda e fabricação dos andadores.

“Além de lutar por uma definição legal, é importante que os pediatras incluam nas consultas de puericultura a contraindicação enfática ao uso de andadores. Além disso, para as famílias que já possuem o produto, a recomendação deve ser a sua destruição imediata”, conclui o dr. Danilo Blank.

 

Referência:  https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/departamento-de-seguranca-da-sbp-alerta-sobre-riscos-do-bebe-conforto-de-balanco-e-dos-andadores/

Compartilhar:
FacebookTwitterWhatsAppEmail
Postado por Origgami

Gravidez na adolescência: o que os pediatras têm a ver com isso?

  A gravidez precoce é um problema multifatorial – e grave -, inclusive de saúde pública, pois envolve riscos à saúde do bebê e da adolescente, além de um aumento do ciclo da pobreza e exclusão social. Aqui no Brasil a taxa de gestação na adolescência é alta: cerca de 400 mil casos ao ano. […]

12 passos para a prevenção de drogas na adolescência

  Todo mundo tem um caso de vício em drogas por perto, não é mesmo? Às vezes dentro da própria família. Por isso é importantíssimo falarmos a respeito, principalmente na prevenção na adolescência. Os médicos Dr. João Paulo Lotufo, Dr. Alberto José de Araújo e Dr. Rafael Yanes Silva escreveram 12 passos para os pais […]

Pediatria no pré-natal: pode isso?

A regra é clara: não só pode como DEVE! ⠀ A inserção do pediatra no pré-natal representa uma grande oportunidade de antecipação de riscos e um dos pilares da tríade para redução da morbimortalidade neonatal, juntamente com a assistência ao recém-nascido em sala de parto e a consulta pós-natal dentro da primeira semana de vida. […]